Até que ponto “a ignorância é uma benção”?

Facebooktwittergoogle_plusreddittumblrmailFacebooktwittergoogle_plusreddittumblrmailby feather

Já ouvi muito essa frase, e discordo dela (com excessão se for sobre coisas fúteis). Eu considero a ignorância praticamente um pecado, um crime. Atualmente, só é ignorante quem quer, considerando a facilidade que temos no acesso à informação.

Navegando pelo facebook há uns dias, me deparei com a seguinte publicação e me choquei com alguns comentários.

fb_direitoshumanos

Jean Willys, Marco Feliciano e Comissão de Direitos Humanos, os assuntos mais comentados nos últimos tempos, e é incrível como de repente todo mundo fala sobre Direitos Humanos como se soubesse com certeza sobre o que está falando. No fim só estão falando um monte de bobagem. Como o colega do print acima. Ele não tem noção do que ele tá falando, pois não é enquanto a “birrinha entre bichas e crentes” que morre gente em fila de hospital e todo o resto que foi citado. Isso vai acontecer enquanto o povo for acomodado e não aprender a lutar por seus direitos, enquanto o povo não aprender a votar, enquanto o povo não se interessar minimamente por política. Essa “birrinha” é exatamente o que estão fazendo, lutando por seus direitos, mostrando sua insatisfação com o que vem acontecendo, levantando a bunda da frente do computador e tentando fazer algo que faça diferença. Por algum lugar tem que começar, se for pra começar a mudar as coisas a partir da briga entre evangélicos e homossexuais, que seja. Nada disso desvia a atenção do resto que acontece no país.

O que são Direitos Humanos

Os direitos humanos são as faculdades, liberdades e reivindicações inerentes a cada pessoa unicamente com o fundamento da sua condição humana. Tratam-se, por isso, de direitos inalienáveis (ninguém, sob nenhum pretexto, pode privar outro sujeito desses direitos para além da ordem jurídica existente) e independentes de qualquer factor particular (raça, nacionalidade, religião, género, etc.).

Os direitos humanos também são irrevogáveis (não podem ser abolidos), intransferíveis/intransmissíveis (uma pessoa não pode “ceder” estes direitos a outra) e irrenunciáveis (ninguém pode renunciar aos seus direitos básicos). Ainda que se encontrem protegidos pela maioria das legislações internacionais, os direitos humanos representam uma base moral e ética que a sociedade considera fundamental respeitar para proteger a dignidade das pessoas. (Leia mais: Conceito de direitos humanos – O que é, Definição e Significado)

Terminologia

“Direitos naturais”, “direitos humanos”, “direitos do homem”, “direitos individuais”, “direitos públicos subjetivos”, “direitos fundamentais”, “liberdades fundamentais”, “liberdades públicas” são todas expressões utilizadas para designar uma mesma categoria jurídica (SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo 15 ed. São Paulo: Malheiros, 1998. p. 179).

Se ainda não entendeu, segue um vídeo muito bom pra ajudar vocês

Uma Comissão de Direitos Humanos e Minorias não existe exclusivamente para defender gays, ou religiosos, ou negros, etc. Direitos Humanos envolvem muito mais do que isso. Inclusive, nada me irrita mais do que gente que diz que Direitos Humanos só servem para defender bandido. Vão atrás de estudar, procurem a Secretaria de Direitos Humanos do seu Estado e se informe, pois a vida não é o que passa nos filmes, e com certeza  nesse assunto, a ignorância nunca vai ser uma benção.

Declaração Universal dos Direitos Humanos, caso se interessem em ler.

Facebooktwittergoogle_plusrsstumblrinstagramFacebooktwittergoogle_plusrsstumblrinstagramby feather

2 comments to Até que ponto “a ignorância é uma benção”?

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>